Sementes de origem asiática são ricas em vitaminas, proteínas e minerais

Pertencente à família Linácea, de origem asiática, a semente de linhaça ganha fama a cada dia entre os nutricionistas, cientistas e quem procura uma alimentação saudável. Não é à toa: a quantidade de benefícios proporcionados pela riqueza de suas propriedades vai muito além da já conhecida melhora no trânsito intestinal.

A prevenção de doenças, redução do ritmo do envelhecimento, aumento da defesa orgânica e ação anti-inflamatória são apenas algumas das vantagens oferecida pela linhaça, que é composta de vitaminas, proteínas e minerais.

Sua semente é rica em ômega-3 e ômega-6, reconhecidos agentes da saúde do coração por combater o mau colesterol. Suas fibras também ajudam na reconstituição do muco intestinal, mas é um composto chamado lignana que vem chamando a atenção de pesquisadores no mundo todo. A substância é considerada um fitoestrógeno porque, ao se ligar a receptores celulares, acaba atuando como o hormônio estrógeno, o que pode contribuir para a redução de tumores de mama, como divulgou recentemente uma pesquisa realizada pela Universidade de Toronto (Canadá). A capacidade da lignana em barrar a metástase vem sendo observada também em pacientes com tumores de cólon e de próstata.

Diversas pesquisas vêm mostrando os benefícios da semente de linhaça no equilíbrio hormonal, reduzindo os indesejados distúrbios da tensão pré-menstrual e da menopausa, e combatendo a acne.

No Brasil, é comum a linhaça escura, porém existe também a semente clara, mais adaptada para climas frios. Ambas, no entanto, são equivalentes na quantidade de nutrientes. Consulte um nutricionista para saber a melhor forma de utilizar-se de suplementos à base desta poderosa semente.

Publicações Recentes