Pesquisa sugere que cólica seria causada por desequilíbrio de bactérias

Apesar de ser extremamente comum, ainda não há uma resposta para as causas das cólicas em recém-nascidos. Por isso mesmo, cada avó tem suas receitas próprias para a solução desse problema que afeta 20% dos bebês.

Apesar de teorias apontarem como causas alergias ou hormônios no leite materno, o resultado mais próximo foi demonstrado numa pesquisa realizada em 2009, que apontou que bebês que sofriam de cólica tinham uma inflamação gastrointestinal e um desequilíbrio na flora intestinal, com prevalência de bactérias prejudiciais – de acordo com o estudo, crianças sem cólica não apresentavam inflamação e maior presença de probióticos.

Seguindo essa teoria, cientistas italianos realizaram uma pesquisa que analisou por um mês 83 de bebês que mamavam no peito. Os recém-nascidos foram divididos em dois grupos – um foi tratado com uma medicação contra gazes, enquanto o outro recebeu um suplemento com L.reuteri, um probiótico encontrado em iogurte.

Ao final da pesquisa, os bebês que tiveram sua flora intestinal enriquecida com probióticos choraram em média 51 minutos por dia, enquanto o grupo que recebeu a medicação para gases chorou cerca de duas horas e meia por dia.

Ao que tudo indica, os probióticos podem, sim, eliminar a inflamação intestinal e reduzir os gases, mas novos estudos ainda precisam ser concluídos para a confirmação.

Publicações Recentes