Acredito que pouquíssimos alimentos tão clássicos e simples como a aveia conseguem ficar tanto tempo na moda. Digo isso porque a minha geração, desde criancinha, escuta todo mundo falar que esse cereal  faz bem. Pudera: é altamente nutritivo, o que torna bastante adorado por quem segue uma alimentação que prima por benefícios extras para a saúde.

E a finalidade da aveia vai muito além da papa. Sim, sabemos que algumas colheradas dela podem ser adicionadas ao leite ou ao iogurte, como também dá para colocar uma porção do produto na banana ou no mamão amassados. Se eu for me prender às utilidades e preparações culinárias deste cereal, esta coluna tomará uma imensa extensão só com as receitas que recorrem à aveia, que têm o poder de deixar os pratos saborosos e fortificantes.

Meu endocrinologista bem aconselha a introdução da aveia no cardápio diário. Diz ele que qualquer cereal integral promove saciedade por um bom tempo e, de quebra, ajuda a gente a conter a boquinha nervosa. :) Sem falar que os produtos desse grupo são ricos em fibra e bem menos calóricos do que aqueles ricos em carboidratos simples, que elevam a carga glicêmica no nosso sangue e podem destrambelhar todo o nosso metabolismo. Sabiam disso?!?

Já tomei conhecimento de vários estudos que atribuem a esse cereal a capacidade de ajudar diante do controle das funções intestinais, dos níveis de colesterol, do peso, do índice glicêmico e, consequentemente, da diabete. A responsável por vários desses efeitos é a betaglucana, um tipo de fibra solúvel presente em grande quantidade na aveia e que incorpora bastante água em sua estrutura. Como consequência, forma-se um gel viscoso que interfere na absorção de nutrientes, como o colesterol e os carboidratos.

O farelo de aveia é a porção que tem maior concentração da betaglucana. Em segundo lugar, despontam os flocos e, por último, a farinha. Portanto, olho vivo nas caixinhas que ficam nas gôndolas: veja nas embalagens as especificações de cada produto.

Recentemente, chamou a minha atenção um release que recebi com uma declaração do médico nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).  Ele diz que, além de ser uma conhecida fonte de fibras, a aveia também tem quantidade valiosa de proteínas, vitaminas, ácidos graxos insaturados (benéficos) e minerais. Como se tudo isso não bastasse, o cereal em questão também apresenta capacidade antioxidante, o que previne o aparecimento de doenças.

Viram só quantos proveitos podemos tirar do consumo de um alimento superbásico? “As principais indicações da ingestão de aveia estão relacionadas à regulação da função intestinal, como também ao controle do peso, da diabete, da síndrome metabólica e do colesterol”, explica Durval. Ele cita que, no caso do colesterol, os benefícios são ainda mais evidentes, pois o consumo de aveia dentro de uma dieta balanceada reduz consideravelmente os níveis da doença e da absorção de carboidratos de alto índice glicêmico.

O farelo e os flocos da aveia são as porções que tem maior teor de fibra (Foto: Divulgação – Site stock.xchng) 

Apesar de todas as vantagens atribuídas ao alimento, o médico recomenda moderação. Claro, tudo tem prós e contras. “Como todo tipo de alimento, não é bom exagerar na ingestão da aveia, pois ela pode predispor ao acúmulo de gases no intestino ou abdome e à flatulência”, esclarece o médico.

Nesse contexto, cabe destacar que a Agência Nacional de Vigilânca Sanitária (Anvisa) já reconheceu o rol de benefícios do cereal e, dessa maneira, registrou a aveia como um alimento funcional para manutenção dos níveis adequados do colesterol. Como podemos ver, ela é mesmo do bem e, por isso, não podemos deixá-la de lado do nosso cardápio. Na dúvida, converse com o seu médico ou o seu nutricionista. E nunca faça mudanças intensas na dieta sem conversar com esses especialistas.

Tags:
aveia, colesterol, dieta, fibras
Publicações Recentes